Como eu invisto, como investirei


Importante antes de tudo é dizer que me considero uma pessoa conservadora apesar de meu patrimônio ser basicamente renda variável, tenho uma pequena quantidade de dinheiro para reserva de emergência e não trabalho com caixa sigo sempre a estratégia de DCA(Dollar Cost Average). Tenho por volta de 20 ativos na carteira, com isso dificilmente algum não está descontado no mês.

Observação: Quando comecei escrever o post IBOV estava em 82 mil pontos e subiu consideravelmente nas ultimas semanas, chegando aos 93 mil assim muitas empresas subiram absurdos mesmo assim existem grandes oportunidades.

Como invisto

Minha alocação de capital fica com 70% de ações brasileiras, 25% em fundos imobiliárias e 5% em ações estrangeiras hoje. Sem contar a reserva de emergência

Ações: A maioria das empresas que invisto são basicamente anticíclicas, com bom gerenciamento, geradoras de caixa, com dívidas controladas, pouca participação do governo, diferencial competitivo e também uma das principais características que busco nas empresas é ter uma diversificação de ganhos de renda, empresas que tem diversos negócios podem se beneficiar em momentos adversos.

Uma das características da carteira é que pelo menos 80% das empresas pagam dividendos, por mais que mínimos, sou da seita dos juros compostos, reinvisto todos os meses assim que os mesmos chegam na corretora em empresas que considero estarem mais desbalanceadas na carteira ou que considero estarem com um valuation atrativo.

Tenho uma parcela que se enquadram em empresas consideradas mid e small caps e algumas apostas, gosto de colocar um percentual em empresas que podem se beneficiar com a valorização também. Como vocês podem ver faço um misto de investimento de value investing com dividendos, se é que isso existe. Como ganho um capital considerável apostar em empresas que rendem dividendos bons seguindo o perfil de empresas.

FIIs: Principal característica é o fluxo constante de caixa, antes da crise vinha aportando bastante pra balancear a carteira. Basicamente meus favoritos de tijolo são setores logísticos, industriais, escritórios e por fim shoppings. Também sou fã de fundos de papel porém só tenho dois, que já são suficiente pra você ter uma diversificação absurda.

Gosto de fundos multi-inquilinos e multi-ativos, mesmo princípio da diversificação para empresas, mesmo que isso seja refletido em um yield mais baixo.

Como investirei

Minha alocação de capital ficará portanto com a nova estratégia com 70% de ações brasileiras, 20% em fundos imobiliárias e 9% em ações estrangeiras, 1% em criptomoedas. Sem contar a reserva de emergência

Ações: Tenho visto empresas muito sólidas com indicadores bons por preços muito baixos nesses últimos meses por isso tenho investido muito, muito mesmo nelas. Estou seguindo alguns critérios para os investimentos.

- Comprar empresas com caixa e/ou dívidas controladas
- Comprar o máximo de empresas que tem o poder de fazer aquisições estratégicas.
- Comprar o máximo de empresas que anticíclicas, como elétricas e bancos.
- Comprar o máximo de empresas que são ótimas empresas as quais foram castigadas pela crise sistemica ou setores dilacerados.

FIIs: Tenho paralisado os aportes nessa modalidade temporariamente, principal característica desse tipo de ativo é prover fluxo de caixa constante, muito dos fundos foram comprometidos por razões obvias como os de shopping e pior por inadimplências que devem se agravar no segundo semestre do ano.

Falando em preço das cotas, os ativos já tem o P/VP maiores ou iguais os pré-crise porém com yield reduzido que me deixa com pé atrás de investir neles por enquanto. Sou grande fã desse tipo de investimento mas por enquanto vou segurar ou fazer compras pontuais.

Stocks: Estou capitalizando o percentual de investimentos em FIIs para capital estrangeiro no momento, basicamente tento investir em empresas de setores que praticamente não existem no Brasil como de internet.

Cripto: Vou capitalizar a principio 1% do capital em criptmoedas, colocaria um percentual maior porém não me sinto seguro com valores do BTC elevados.

Abraços pobretas.

Comentários

  1. Respostas
    1. Valeu Escola para Investidores!

      Seu blog é bem legal, volte sempre hehehe

      Excluir
  2. Fala Burns, beleza?
    Cara, temos estratégias bem parecidas de montagem de carteira. O raciocínio meu também está bem parecido neste momento... tenho evitado aportar em Fiis - pelos óbvios motivos que você mencionou, e também estou mandando dinheiro para o exterior. Queria te propor pra você participar do teste do meu app de controle de investimentos. Ele é bem focado em investidores que trabalham com carteiras assim, acho que você vai gostar e vai me ajudar bastante.
    Me envia um e-mail: acumuladorcompulsivo@gmail.com
    Abraços, Stark.
    www.acumuladorcompulsivo.com

    ResponderExcluir
  3. Fala Burns, blz?
    Quando você diz: comprar o "máximo" de empresas, tem algum limite de quantidade?
    Quantas ações pretende ter na sua carteira?
    Grande abraço, Stark.
    www.acumuladorcompulsivo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai Stark,
      Tudo ótimo e com você?

      Cara, tem sim. Eu acho que uma carteira com no máximo 35 ativos é o ideal.

      BR: 15~20 empresas,
      EUA: 10 empresas
      FIIs + REITs: 5~7,

      Acho que mais que isso fica difícil acompanhar.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Blog está de volta

Plano do milhão e FIRE

[ATUALIZAÇÃO MENSAL] Maio/2020 - R$ 94.339,89